18.1.13

 

"Sonhe muito, concretize mais".

Em início de uma nova etapa, quer seja ano, constitui momento especial para retrospetivar e perspetivar os objetivos e resultados alcançados, em momento único, a fim de conferir um novo ímpeto à sua caminhada progressiva, acompanhando assim a dinâmica de cada desafio.

Esta reflexão procura resgatar a importância do sonho como experiência de imaginação do subconsciente, em paralelo a perspetiva meramente ilusionista do sonho, até porque sendo o Homem ser pensante, a geração de ideias é alimentada pela sua vivência.

Como apanágio do foi referido, a orientação e predisposição para a sua operacionalização é o cerne desta reflexão, como mecânismo diferenciador dos Homens, sempre que os resultados colhidos das ideias implementadas, tornam-no melhor sonhador.

Pretende-se assim definir um percurso ou processo inclusivo e unidirecional que retrata este objeto, composto por três fases assentes numa lógica dedutiva, sendo duas das três fases os seus pontos críticos ou máximos e a terceira, a intermédia, a fase de alavancagem ou enabling entre os pontos máximos. Cada uma das fases gera sinergias que alimentam a fase seguinte, são elas: (1) o sonho, (2) a predisposição e (3) a ação.

O sonho é momento único de confluência de ideias, brainstorming, muitas vezes descoordenadas e conflituantes, carecendo por isso de um software ou lógica de tratamento dos dados assumindo certos pressupostos que derivam de critérios imbuídos na cultura e personalidade do indíviduo.

A predisposição é o momento crucial de validação da visão implícita ou explicitamente definida na fase 1. Exige um exercício mental de aceitação dos objetivos o que pode implicar uma remodelação comportamental ou adequação estratégica para assegurar consolidação entre as ideias e o sonhador. A inteligência emocional constitui assim fator diferenciador, agindo como filtro para afinar os objetivos ora validados.

Satisfeita a fase anterior inicia-se o momento decisivo de aplicação das ideias num contexto adverso, eixgindo para tanto pragmatismo e capacidade de negociação de forma a facilitar a aceitação supra e dilatação na base. Não basta ter-se boas ideias, o timming certo e modalidade de aplicação coroam a ação. O sucesso desta fase depende do nível de envolvimento e domínio nas fases anteriores, evitando-se rigidez, inflexibilidade e iminente colapso (bloqueio mental).

Em termos de distribuição de recursos dispendidos, dentre mentais e físicos, mantendo-se o resto constante, ocorrem simultaneamente pelas três fases sequenciadas embora com pesos distintos, onde o primeiro recurso cresce e o segundo varia na razão inversa.

 

António Sendi (articulista convidado)


Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 09:00  Comentar

Luanda | Angola

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Equipa

Alexandra Vaz

Ana Martins

Cidália Carvalho

Ermelinda Macedo

Fernando Couto

Jorge Saraiva

José Azevedo

Leticia Silva

Rui Duarte

Sandra Pinto

Sandra Sousa

Sara Almeida

Sara Silva

Sónia Abrantes

Tayhta Visinho

Teresa Teixeira

Janeiro 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

13
14
16
17
19

20
21
23
24
26

27
28
30
31


Arquivo
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
O tempo, a arbitrariedade da vida e as fragilidade...
Obrigado SAPO.AO!!
E claro que é no "Cenas na net" mas este na homepa...
Torna-se 'repetitivo', mas no bom sentido que faze...
Presenças
Outras ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: