11.6.13

 

“Pisaste o risco”, pensou enquanto segurava firmemente as lágrimas do desengano. Aquele risco que ambos tinham delineado como barreira entre o ser nós e o quebrar de uma união, presumida como da vontade de ambos e de cada um. Cada um sabia que uma relação comportava sempre um risco de se desenvolver em diferentes direções. A verdade é que ninguém sabe o desfecho seja do que for, mesmo que os indicadores apontem numa determinada direção. Às vezes, ninguém dá nada por uma relação e esta mantém-se duradoira, contra todas as expetativas. Outras vezes, todos afirmam ser uma relação “para sempre” e esta desaba quando menos se espera. Pisara o risco e agora tudo o que havia sido uma certeza transformara-se numa incerteza deveras assustadora. Como é que uma escolha podia ter um peso assim tão determinante? A escolha entre estar aquém e para além do risco? Segurava as lágrimas que antecediam as violentas ondas de emoção que atordoavam todo o seu ser. Ele correra o risco de tudo perder. Ela sentia que tudo estava já perdido. Parecia agora haver uma linha que os separava e se tornava fronteira entre ambos, que eram antes um nós. E o que fora nós, eram agora dois mundos rodeados, cada um pela sua própria fronteira, quase estranhos um ao outro.

Pisara o risco, e transpusera-se agora para uma nova realidade, muito diferente daquela que desejara antes de atravessar a fronteira. Mas se atravessara é porque aquilo que primeiramente desejara já não era o que queria agora. Valera a pena? A certeza é que tudo se transformara, como tudo muda na vida.

O que nos faz ir para além do risco ou ficar aquém deste, no lugar seguro do pseudo-controlo? O que nos leva a pisar o risco? O que nos faz decidir correr o risco, mesmo não sabendo o destino? E sobretudo, quando vale a pena correr o risco?

 

Cecília Pinto


Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 08:00  Comentar

Luanda | Angola

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Equipa

> Alexandra Vaz

> Ana Bessa Martins

> Cidália Carvalho

> Ermelinda Macedo

> Fernando Couto

> Jorge Saraiva

> José Azevedo

> Leticia Silva

> Maria João Enes

> Miriam Pacheco

> Rui Duarte

> Sandra Pinto

> Sara Silva

> Sónia Abrantes

> Teresa Teixeira

Junho 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
12
13
15

16
17
19
20
22

23
24
26
27
29

30


Arquivo
2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
O tempo, a arbitrariedade da vida e as fragilidade...
Obrigado SAPO.AO!!
E claro que é no "Cenas na net" mas este na homepa...
Torna-se 'repetitivo', mas no bom sentido que faze...
Presenças
Outras ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: