24.9.13

 

Diariamente somos alvo de informação manipulada pelos nossos líderes sociopatas. Intencionalmente somos condicionados com determinada informação, através dos média, para que acreditemos em mensagens que são, afinal, desinformação. Os média são um instrumento nas mãos do poder vigente.

Supostamente, três por cento dos homens e um por cento das mulheres são sociopatas. Entre os líderes a percentagem é muito maior. Então como é que eles chegam ao poder?

A teoria da informação, a ciência que nos proporciona esses conceitos úteis como relação sinal-ruído, fornece insights sobre a prevalência da sociopathocracy. Podemos compreender melhor o conceito através da "redundância". Trata-se da repetição da mensagem por forma a compensar o ruído e reduzir as mensagens divergentes. Quanto maior o número de mensagens redundantes menor será o número de novas mensagens (Claude Shannon).

Se contares uma mentira o suficiente de forma insistente as pessoas acabarão por acreditar nela.

A falta de auto-dúvida é, por definição, uma falta de variedade. É como que abafar opiniões divergentes na própria cabeça com uma ideia redundante imposta exteriormente. Nós invejamos, somos atraídos, e consideramos carismáticos os apaixonados insistentes, persistentes e determinados. No entanto, não deixemos que eles nos vençam pelo cansaço. Não deixemos que usem de intencional persuasão pela persistência.

Que dizer da guerra civil na Síria. A mensagem que é passada constantemente pelos média é que Bashar al-Assad é o único responsável pelas mortes de milhares de civis, por exemplo através do uso de armas químicas. Será que é mesmo assim?

 

Ana Teixeira


Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 08:00  Comentar

Luanda | Angola

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Equipa

> Alexandra Vaz

> Ana Martins

> Cidália Carvalho

> Ermelinda Macedo

> Fernando Couto

> Jorge Saraiva

> José Azevedo

> Leticia Silva

> Maria João Enes

> Rui Duarte

> Sandra Pinto

> Sara Almeida

> Sara Silva

> Sónia Abrantes

> Teresa Teixeira

Setembro 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
12
14

15
16
18
19
21

23
25
26
28

30


Arquivo
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
O tempo, a arbitrariedade da vida e as fragilidade...
Obrigado SAPO.AO!!
E claro que é no "Cenas na net" mas este na homepa...
Torna-se 'repetitivo', mas no bom sentido que faze...
Presenças
Outras ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: