15.10.13

 

Era uma vez uma mente sem sexo que vivia num corpo sensual. Sua sensualidade transcendia o mero prazer lascivo dos corpos que se esbarram. Insinuava-se quente, atrevida, repleta de desejo, buscando a fusão sublime por duas almas que se querem. E muito!

Ah! Mas como lhe escapava a sua essência… agora nebulosa pelo arfar do orgasmo.

Ora doce, ora ambígua…

A pessoa da mente sexuada queria mais… agora insatisfeita… pela ausência do prazer.

Sofre o preconceito por viver e expressar tão intensamente suas emoções, sua sexualidade latejante… empolgante… viciante… despertando ainda mais, qual rebelde, o poderoso ensejo da transgressão. Mas sem nunca experimentar a inebriante sensação de ser uma mente livre.

Ah! Mas como é bom!

Seu desejo, suas preferências, seus excessos condensaram o fulgor da sua “injulgável” manifestação.

Não! Não lhe queiram tolher a liberdade de poder expressar- se loucamente, não lhe imponham culpas, vergonhas, nem grilhões morais.

Ah! Mas como é bom!

Mas sem nunca se permitir ser uma mente livre, apesar de esta mitigar-lhe gritantemente.

Morreu…

A pessoa da mente assexuada que se julgava sexual apaga a luz da consciência terrena, serra as portas quentes numa madrugada agora fresca. Sem culpas, sem vergonhas, nem grilhões morais.

Relampejava “quero-te”, “quero-vos”, “vem”.

A pessoa da mente assexuada não tinha mais corpo, não tinha mais sexo!

 

Marta Silva


Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 08:00  Comentar

Luanda | Angola

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Equipa

Alexandra Vaz

Ana Martins

Cidália Carvalho

Ermelinda Macedo

Fernando Couto

Jorge Saraiva

José Azevedo

Leticia Silva

Rui Duarte

Sandra Pinto

Sandra Sousa

Sara Almeida

Sara Silva

Sónia Abrantes

Tayhta Visinho

Teresa Teixeira

Outubro 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

13
14
16
17
19

20
21
23
24
26

28
30
31


Arquivo
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
O tempo, a arbitrariedade da vida e as fragilidade...
Obrigado SAPO.AO!!
E claro que é no "Cenas na net" mas este na homepa...
Torna-se 'repetitivo', mas no bom sentido que faze...
Presenças
Outras ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: