26.11.13

 

Liberdade é uma palavra que todos conhecem. Nos livros ela aparece constantemente e nossos olhos passam por ela sem prestar muita atenção, ela está ali, apenas isso.

Mas se um dia se perde a liberdade, o significado dela muda de uma maneira brusca e assustadora. Sem a liberdade percebemos que não temos nem ar, não conseguimos nem respirar, falta oxigênio no planeta, no sangue.

Não existe nada mais precioso do que a liberdade, mas só quem perdeu ela, sabe da dor que se carrega, tudo perde sentido, nada mais parece estar em seu lugar e sem a liberdade nós nem existimos.

Quando deixamos de ser livres nossas vidas perdem o rumo e o sentido, então conseguimos ver que não somos nada sem liberdade, ela é o centro da existência e sem ela perdemos o chão.

E o que fazer quando se perde a liberdade? Nada. Talvez esperar que ela volte e a vida recomece, fora isso não há o que fazer e a alma sabe disso, sem liberdade ela seca em questão de segundos.

Liberdade no papel é uma coisa poética, na falta dela a pele congela.

E não prestamos atenção nisso, pensamos que nossa liberdade já foi conquistada e será assim para sempre, acreditamos que temos ela ao nascer e vamos morrer assim. Mas tudo muda e às vezes a liberdade pula do papel, onde é perfeita e avança em nossas vidas, arrancando tudo do lugar. Nesse momento entendemos o outro significado dela, sem a liberdade não temos ar e sem isso não temos vida, parece que tudo termina ali. E só nos resta rezar.

 

Iara De Dupont


Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 09:00  Comentar

Luanda | Angola

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Equipa

> Alexandra Vaz

> Ana Martins

> Cidália Carvalho

> Ermelinda Macedo

> Fernando Couto

> Jorge Saraiva

> José Azevedo

> Leticia Silva

> Maria João Enes

> Rui Duarte

> Sandra Pinto

> Sara Almeida

> Sara Silva

> Sónia Abrantes

> Teresa Teixeira

Novembro 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
13
14
16

17
18
20
21
23

24
25
27
28
30


Arquivo
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
O tempo, a arbitrariedade da vida e as fragilidade...
Obrigado SAPO.AO!!
E claro que é no "Cenas na net" mas este na homepa...
Torna-se 'repetitivo', mas no bom sentido que faze...
Presenças
Outras ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: