6.12.13

 

Os noivos estavam vestidos a rigor e contrastavam com os tons cinza dos convidados.

Foi João quem decidiu a cor das roupas que iriam usar: vermelho escarlate. Foi João quem escolheu as flores: cravos vermelhos. E foi ainda João quem descobriu o local onde se iria realizar a cerimónia: uma velha ponte abandonada que outrora ligara dois caminhos improváveis. A música e o texto que todos ouviriam no final foi objeto de prolongadas e animadas discussões entre os dois. Todas as escolhas, até ao ínfimo pormenor, continham elementos simbólicos fortes, como se cada opção exigisse a reafirmação inequívoca de que o futuro daquela união, desde há muito traçado, seria trilhado sem hesitações.

Como tinham sido difíceis os caminhos percorridos até àquela ponte! As duas famílias tinham-se oposto ao casamento e tudo fizeram para que ele não se realizasse. Até os amigos mais próximos se comportaram de forma ambígua, e a amizade franca e antiga que os unia foi abalada por desconfortáveis interpretações das palavras, dos gestos e dos olhares que trocaram nos últimos tempos. Havia, por isso, uma tensão latente, quase insuportável, que atravessava todos, porque a todos atingia. Mas quando a cerimónia se aproximou do final e uma criança vestida de branco citou Brecht ao som de Freedom, e os noivos se beijaram, como por encanto mágico, irresistível, todos se abraçaram emocionados e uma corrente de paz e felicidade a todos uniu.

“… criar uma situação que a todos liberte / E o amor da liberdade faça supérfluo.”

João e Manuel não podiam estar mais felizes.

 

José Quelhas Lima

* Nelson Mandela


Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 09:00  Comentar

Luanda | Angola

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Equipa

Alexandra Vaz

Ana Martins

Cidália Carvalho

Ermelinda Macedo

Fernando Couto

Jorge Saraiva

José Azevedo

Leticia Silva

Rui Duarte

Sandra Pinto

Sandra Sousa

Sara Almeida

Sara Silva

Sónia Abrantes

Tayhta Visinho

Teresa Teixeira

Dezembro 2013
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
12
14

16
18
19
21

23
25
26
28

30


Arquivo
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
O tempo, a arbitrariedade da vida e as fragilidade...
Obrigado SAPO.AO!!
E claro que é no "Cenas na net" mas este na homepa...
Torna-se 'repetitivo', mas no bom sentido que faze...
Presenças
Outras ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: