5.1.10

 


 


Primitivamente, a família aparece para assegurar a herança dos bens dentro do mesmo grupo de pessoas.

Família é, historicamente e na cultura ocidental, um grupo de pessoas do mesmo sangue.

Mas a família tem vindo a transformar-se e está longe da visão materialista primitiva e do simples conceito de consanguinidade.

As mudanças religiosas, os factores económicos e socioculturais, transformaram-na e, hoje, o papel da família vai muito para além da defesa da propriedade privada e da estrutura inicial de pai, mãe, filhos e irmãos.

A família como agregação social não obedece a um único padrão pelo que fará mais sentido falar em famílias, no plural.

 

Hoje, compete aos membros de cada família responder às mudanças internas e externas, criando, dentro do grupo, condições de protecção psico-social dos membros, assimilar uma cultura e assegurar a sua transmissão. Esta dupla função, de dar e receber dos seus membros e da sociedade, é tanto mais bem conseguida quanto mais estruturada for e mais definidos estiverem os papeis de cada elemento, funções que têm que ser atribuídas com base no diálogo, franqueza e respeito mútuo pela individualidade de cada um.

Só com estes ingredientes se pode estabelecer uma relação de partilha, não de posse, que permita transformar a família num núcleo gerador de afectos, onde os seus membros se sintam seguros satisfeitos e úteis.

 

Cidália Carvalho

 
Temas:
Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 02:34  Comentar

De Cidália Carvalho a 12 de Janeiro de 2010 às 21:50
Susan Boyle,
Obrigada por alertar para um problema que é cada vez maior e recorrente.
È uma triste realidade esta de descartar os pais para um qualquer lugar quando incapacitados, e por isso mesmo mais precisados dos filhos.

Seja bem vinda!

De Susan Boyle a 12 de Janeiro de 2010 às 13:35
Tem-se vindo a perder o significado que a palavra "familia" tem, e principalmente os mais idosos, que são largados n`algum lar, tipo depóito de material reciclado, mas sem ser para reciclar, mais para descartar.

Luanda | Angola

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Equipa

> Alexandra Vaz

> Ana Martins

> Cidália Carvalho

> Ermelinda Macedo

> Fernando Couto

> Jorge Saraiva

> José Azevedo

> Leticia Silva

> Maria João Enes

> Rui Duarte

> Sandra Pinto

> Sara Almeida

> Sara Silva

> Sónia Abrantes

> Teresa Teixeira

Janeiro 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
16

17
18
20
21
23

24
25
27
28
29

31


Arquivo
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
O tempo, a arbitrariedade da vida e as fragilidade...
Obrigado SAPO.AO!!
E claro que é no "Cenas na net" mas este na homepa...
Torna-se 'repetitivo', mas no bom sentido que faze...
Presenças
Outras ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: