12.2.10

 


 


Existem variadas situações em que dizemos que isto, ou aquilo, é uma droga, isto é, algo que não presta!

Atribuem-se-lhes nomes que tais produtos não merecem, tal como Heroína. Sem se dar conta, ao fraquejar perante ela, fica-se prostrado, abaixo do mais baixo que existe, capaz que ela é de fazer sucumbir qualquer ser existente no nosso planeta.

 

O início, com as chamadas drogas “leves”, é algo inocente e inebriante. Talvez como tentativa de afirmação perante os amigos ou conhecidos, talvez querendo sentir-se destemido ou ousado, surge a atracção pela adrenalina do desconhecido, do perigo, e inicia-se uma viagem dolorosamente terrível, por vezes só com bilhete de ida. A entrada é fácil e doce, em algo que transporta a mente, e por consequência o corpo, para lá do imaginável. As nuvens que parecem flutuar, transformam-se sempre em pântanos de areias movediças. Sem se dar conta, uma verdadeira e sã vida estão cada vez mais afastadas. Sem dar por isso, o corpo e a mente vão ficando dependentes, mas fazendo a leitura de que tudo é normal. Após enraizar-se é muito difícil de eliminar.

 

Mas esses demónios criados pela natureza e transformados pelo Homem para a sua auto-destruição, também podem ser combatidos por algo superior a tudo e a todos - a força de vontade.

 

Abílio Janeiro


 

Temas: ,
Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 01:05  Comentar

De Abìlio Janeiro a 15 de Fevereiro de 2010 às 00:14
Boa noite Cidália,
Sem duvida que essa rede pode fazer toda a diferença.

De Cidália Carvalho a 14 de Fevereiro de 2010 às 22:38
Abilio,
Para a viagem em que se embarcou ter volta é necessário e, em primeiro de tudo, haver vontade, mas será suficiente? Não terá que haver uma rede de apoio que começa logo pela família para ajudar nessa luta?

Luanda | Angola

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Equipa

> Alexandra Vaz

> Ana Martins

> Cidália Carvalho

> Ermelinda Macedo

> Fernando Couto

> Jorge Saraiva

> José Azevedo

> Leticia Silva

> Maria João Enes

> Rui Duarte

> Sandra Pinto

> Sara Almeida

> Sara Silva

> Sónia Abrantes

> Teresa Teixeira

Fevereiro 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

14
15
17
18
20

21
22
24
25
26
27

28


Arquivo
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
O tempo, a arbitrariedade da vida e as fragilidade...
Obrigado SAPO.AO!!
E claro que é no "Cenas na net" mas este na homepa...
Torna-se 'repetitivo', mas no bom sentido que faze...
Presenças
Outras ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: