21.9.10

 

O nosso amor já dura há mais de cinco anos.
Estávamos de férias, em mais uma lua-de-mel, desta vez em Singapura. Tinha acabado de nascer o dia, desci do quarto para tomar o pequeno-almoço e, faz parte da minha rotina matinal, passar os olhos pelo jornal. Fiquei intrigada, quando vi um anúncio que dizia: “Quer adoptar um bebé? Ligue e entregamos na hora.”. Achei que poderia ser brincadeira, parecia que de uma mercadoria se tratava. Era mesmo o que eu queria. Um bebé com entrega na hora e ainda por cima poder dar a uma criança melhores condições sociais, económicas e afectivas do que as que teria se ficasse no seu meio natural de vida.
Falei com Dany, o meu marido, que me alertou para a possível falta de legalidade daquele anúncio e que me acompanhou até à embaixada de Portugal. Foi-nos informado que era legal e que é um processo rápido, pagando o montante que é solicitado, assinando um contrato, a criança é entregue no acto. Decidi de imediato ligar para a agência que faz os contactos com o orfanato e só perguntaram qual a profissão do meu marido. De imediato disseram: “Temos o vosso bebé, podem vir levantá-lo.”.
Já estava tudo preparado. Depois do pagamento, a menina estava à nossa espera - tinha três dias de vida e acabado de chegar da maternidade. Pelo que soubemos, a mãe é prostituta e não reúne condições para abarcar com as despesas, cuidados e educação, para lhe garantir um desenvolvimento saudável. Não sabia quem era o progenitor.
 
De facto, quando a vimos com os seus três dias de vida, tão frágil, tão pequenina a necessitar tanto de nós, apaixonamo-nos de imediato por ela. Foi amor à primeira vista!!! E agora, já com quatro anos, é a luz da nossa vida. Ela sente que não é uma filha qualquer: foi querida e amada desde o primeiro momento. Ela também percebe que é uma filha diferente dos outros: não é de sangue, mas de coração.
 
Sónia Sequeira
 
Temas:
Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 00:05  Comentar

Luanda | Angola

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Equipa

> Alexandra Vaz

> Cidália Carvalho

> Ermelinda Macedo

> Fernando Couto

> Helena Rosa

> Inês Ramos

> Jorge Saraiva

> José Azevedo

> Maria João Enes

> Rui Duarte

> Sandra Pinto

> Sara Silva

> Sónia Abrantes

> Teresa Teixeira

Setembro 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12
13
15
16
18

19
20
22
23
25

26
27
29
30


Arquivo
2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
O tempo, a arbitrariedade da vida e as fragilidade...
Obrigado SAPO.AO!!
E claro que é no "Cenas na net" mas este na homepa...
Torna-se 'repetitivo', mas no bom sentido que faze...
Presenças
Ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: