22.2.11

 

Ela tinha um irmão de quem não gostava. Tinha uma amiga que adorava. A amiga tinha uma cadelinha que era como sua irmã. Mais tarde, uma amiga disse-lhe que ela era a sua família, porque a sua família não lhe era nada, não sabia quem ela era, ao contrário da amiga.
Há laços que não se explicam como a amizade. Há ligações mais fortes que o próprio sangue.
Quando alguém nos é tão próximo, alguém em que podemos confiar, em que nos podemos apoiar, em que podemos ser nós, esse alguém é um amigo, não temporário. Esse, temporário, talvez seja um colega especial, mas, amigo é sim, alguém que permanece.
As amizades são relações. E toda a relação deve ser alimentada, senão não sobrevive. A amizade não foge à regra. Porque também esta está constantemente à mercê da mudança. Mudança das idades, dos contextos, da nossa visão da vida. Tudo isso se manifesta também numa relação de amizade. Por vezes, há choques. Nada é como foi. Nada. Mas, felizmente o que permanece, evolui.
Amigo, é alguém que dá sem esperar nada em troca. Pode ser amigo uma vez com outro. Mas eu falo de amizades verdadeiras que perduram. Essas não se fazem num momento, constroem-se. Podem, claro, surgir de um momento. Mas precisam de continuidade, histórias, contextos e partilhas, para serem continuadamente.
Os amigos são fundamentais à vida. À minha vida. Por vezes, são um bálsamo. Outras vezes funcionam como espelho de reflexão. Mas, sobretudo, brotam alegria em nós. A não ser quando partilhamos uma tristeza. Nessa altura, são como uma capa para a chuva que aquece.
Contar histórias de amizade não tem fim. Inúmeras as histórias que mostram a amizade verdadeira. Mas sentir amizade, é algo que não se conta. É difícil descrever. De explicar.
Por isso, amigo foi quando o tirou da rua. O cuidou. O alimentou. O abraçou. E respondeu-lhe o outro, cuidado e alimentado, em termos de lealdade. Ficou. Permaneceu. Até ao fim, viesse o que viesse. Ficou, o amigo.
 
Cecília Pinto
 
Temas:
Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 01:05  Comentar

Luanda | Angola

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Equipa

Alexandra Vaz

Ana Martins

Cidália Carvalho

Ermelinda Macedo

Fernando Couto

Jorge Saraiva

José Azevedo

Leticia Silva

Rui Duarte

Sandra Pinto

Sandra Sousa

Sara Almeida

Sara Silva

Sónia Abrantes

Tayhta Visinho

Teresa Teixeira

Fevereiro 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

13
14
16
17
19

20
21
23
24
26

27
28


Arquivo
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
O tempo, a arbitrariedade da vida e as fragilidade...
Obrigado SAPO.AO!!
E claro que é no "Cenas na net" mas este na homepa...
Torna-se 'repetitivo', mas no bom sentido que faze...
Presenças
Outras ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: