12.5.14

 

Tempos passados, de memórias confusas, difusas e sem repetição. Coisas novas, fantásticas, das surpresas e espantos. Tempos de tudo ser importante, de todos serem importantes. De não saber como iria ser se (quando) tudo nos falhasse. Os pais, os irmãos, os avós. Os castigos, os amigos e a dor de se esfolar um joelho. O professor, os “calduços”, a bola, o recreio. A campainha ou o toque, o azar e a sorte e o beijo atrás do pavilhão. E claro, o parvalhão. Ainda não era um bully...

 

Os tamanhos eram diferentes, um T2 gigante e o pai também. O Algarve era noutro planeta e os carros não tinham cintos atrás. Afinal eram 80 metros quadrados, 1,65 metros e mais ou menos 600 quilómetros. Os telefones tinham um disco e um disco era um disco. Faziam um barulho engraçado quando abanados com força. Dois canais na televisão. Levanta-te tu agora para mudar de canal.

 

Domingo, almoço nos avós. Formula 1 na televisão e o Senna... O Senna... Na rádio era o Michael, a Tina ou a Madonna. Na aparelhagem os Abba, os Pink ou Doors. Promoções fantásticas da Cola ou da Pepsi. Uma vez ganhei um pager! O sumo natural de maracujá e as latas do Nestum que foram tambores. Meus e depois dos primos.

 

Visitas na maternidade para conhecer o irmão. Gosto dele mas não gosto dele. Roubou a atenção. Uma rosa para a mãe e desenhos no dia do pai. E no dia da mãe também. Versos curtos, copiados, invariavelmente a terminar no amo-te. “Sou pequenino, do tamanho de um botão, (qualquer coisa), mãe no coração”.

 

As fotos no jardim do Passeio Alegre e as idas ao minigolfe. Um Golf branco sem extras. Mas que vinha com rádio. O shopping era o Brasília e cheguei a ver o Michael Knight com o KITT. Depois fizeram lá um lago com barcos. Mas as moelas eram no café “Pé-de-vento” com o avô.

 

Ó tempo, não voltes para trás. As coisas repetidas não têm piada.

 

Rui Duarte

 

Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 08:00  Comentar

Luanda | Angola

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Equipa

> Alexandra Vaz

> Ana Martins

> Cidália Carvalho

> Ermelinda Macedo

> Fernando Couto

> Jorge Saraiva

> José Azevedo

> Leticia Silva

> Maria João Enes

> Rui Duarte

> Sandra Pinto

> Sara Almeida

> Sara Silva

> Sónia Abrantes

> Teresa Teixeira

Maio 2014
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
13
15
17

18
20
22
24

25
27
29
31


Arquivo
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
O tempo, a arbitrariedade da vida e as fragilidade...
Obrigado SAPO.AO!!
E claro que é no "Cenas na net" mas este na homepa...
Torna-se 'repetitivo', mas no bom sentido que faze...
Presenças
Outras ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: