12.10.15

OudeKlok-XPosid.jpg

Foto: Oude Klok – X Posid

 

Temos tempo, o Sol nasce todos os dias, apesar de ser a Terra, coitada, que tem que dar as suas voltas para que isso aconteça. Atrás de tempo, tempo vem.

 

Pois, mas tempo é dinheiro, diz o banqueiro que o emprestou e que gosta, esfregando as ávidas mãos, que o tempo passe, que os juros sejam cobrados, rogando para que as imparidades não lhe caiam nos braços, na hora das contas.

 

Ora, ora! Não há dor que o tempo cure, ele a tudo dá remédio. O que agora se apresenta como se fosse o fim do mundo, tempo passado e vai ficar só uma moedeirazinha, uma ralação que amofina e que deixa a pairar umas más memórias. É a vida.

 

Então, a memória é que será a verdadeira referenciadora do tempo, é que nos traz o quando, o como, o onde. Aquilo de que nos esquecemos, foi-se, mas o que lembramos, está. Não sendo o tempo elástico, a memória pode esticar um momento marcante, instante que seja, para toda a vida - a minha eternidade – ou encolher o que esquecemos até à nulidade.

 

Vai sendo tempo de pensar em não abusar da paciência do vosso tempo, ele é escasso, não é? Mesmo que infindável, pois um momento sucede a outro, e a outro e ainda mais outro: nós, durante a maior parte das nossas vidas, podemos ser donos de nós próprios, tomar decisões, fazer opções conscientes no momento, mas não conseguimos fazer parar ou acelerar o tempo.

 

Será um trabalho interminável, onde talvez a luta, a ambição e a esperança sejam a de conseguirmos passar pelo tempo, deixando marcas, em vez de aceitarmos apenas que o tempo passe por nós.

 

É que quando começamos a dizer muitas vezes “amanhã faço isto”, aumenta a probabilidade de amanhã voltar a dizer o mesmo. E aí, o tempo assenhora-se de nós.

 

Jorge Saraiva

 

Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 08:00  Comentar

Luanda | Angola

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Equipa

> Alexandra Vaz

> Ana Martins

> Cidália Carvalho

> Ermelinda Macedo

> Fernando Couto

> Jorge Saraiva

> José Azevedo

> Leticia Silva

> Maria João Enes

> Rui Duarte

> Sandra Pinto

> Sara Almeida

> Sara Silva

> Sónia Abrantes

> Teresa Teixeira

Outubro 2015
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

13
15
17

20
22
24

27
29
31


Arquivo
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
O tempo, a arbitrariedade da vida e as fragilidade...
Obrigado SAPO.AO!!
E claro que é no "Cenas na net" mas este na homepa...
Torna-se 'repetitivo', mas no bom sentido que faze...
Presenças
Outras ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: