17.2.16

ISeeYou-GeorgeHodan.jpg

Foto: I See You – George Hodan

 

O “eu” pode ser entendido como um conjunto de componentes que, individualmente, representam uma combinação de informações importantes para a promoção e qualidade das relações interpessoais.

O exercício que é importante fazer liga-se à identificação dessas componentes e como elas se apresentam e se manifestam. É um exercício de autoconhecimento.

O que conheço do meu “eu”? O que desconheço do meu “eu? O que os outros conhecem do meu “eu”? O que os outros desconhecem do meu “eu”?

A combinação do que eu conheço/desconheço/escondo do meu “eu” e o que os outros conhecem/desconhecem do meu “eu”, influencia as relações entre o “eu” e os “outros”.

O exercício no caminho do autoconhecimento pode influenciar a forma como a pessoa dá ou solicita informação aos outros. Parece que a forma como o “eu” se apresenta aos outros, tendo em atenção a estrutura que conhecemos/desconhecemos/escondemos do nosso “eu”, influencia os “outros” e, consequentemente, tem repercussões nas relações interpessoais.

Na interação com os outros a informação é partilhada pela própria pessoa e pelos outros. É um campo de atividade complexo, sendo a relação aberta aquela onde a pessoa cede aos outros informação, o mais completa possível, sobre o seu “eu”, e que diminui a probabilidade de ocorrerem más interpretações do seu comportamento. É neste cenário que, quanto a mim, acontecem relações sinceras, participadas e produtivas.

 

A vida tem tido o efeito de me obrigar a pensar cada vez mais na forma como nos apresentamos aos outros, e nas consequências que essa apresentação pode assumir na construção de relações interpessoais!

 

Ermelinda Macedo

 

Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 09:30  Comentar

Luanda | Angola

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Equipa

> Alexandra Vaz

> Ana Martins

> Cidália Carvalho

> Ermelinda Macedo

> Fernando Couto

> Jorge Saraiva

> José Azevedo

> Leticia Silva

> Maria João Enes

> Rui Duarte

> Sandra Pinto

> Sara Almeida

> Sara Silva

> Sónia Abrantes

> Teresa Teixeira

Fevereiro 2016
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

14
15
16
18
20

21
23
25
27

28


Arquivo
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
O tempo, a arbitrariedade da vida e as fragilidade...
Obrigado SAPO.AO!!
E claro que é no "Cenas na net" mas este na homepa...
Torna-se 'repetitivo', mas no bom sentido que faze...
Presenças
Outras ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: