19.4.17

Mom-Unsplash.jpg

Foto: Mom - Unsplash

 

- Quero subir para aí contigo, mamã! - dizias, como se fosses embarcar numa aventura inelutável. Os teus olhos grandes a engolir o mundo brilhavam enquanto, impaciente, saltitavas em pontas.

Segurei-te pelo tronco e puxei-te para mim. O sol tímido roseava-te o rosto pousado no meu peito. Devagar, baloicei-nos e deixei que a brisa nos afagasse os cabelos. Dancei os meus dedos pelas tuas sobrancelhas e desenhei-te a face vezes sem conta. As tuas pestanas longas, negras, cerravam-se aos poucos. Estavas ali. Meramente ali, comigo, nesse dom, que só as crianças possuem, de estar verdadeiramente e completamente onde estão.

E naquele instante, todos os relógios pararam. Eras outra vez o bebé que há anos embalei no meu regaço. Sussurrei-te em silêncio as saudades que me trouxeste. Sei que me ouviste. Como me ouves de todas as vezes que te sorrio sem nada dizer. E eu fui criança também, eu estive ali, meramente ali, contigo, connosco e com os ponteiros de todos os relógios do mundo, interrompidos, suspensos, como nós, naquela cama de rede, sob o abraço do sol.

Amo-te, amo-te em paz. Amo-te tão tranquilamente, tão intensamente e tanto… como todos os amores deveriam amar. Esse amor que se balança, sustado e eterno.

 

De repente, olhaste para mim, olhos enormes a engolir o mundo outra vez:

- Mamã! Quero ir jogar à bola com o mano!

Saltaste para o chão depressa, correste e os relógios regressaram ao seu compasso. Deixei-te ir, como te deixo ir “crescendo” a cada dia que passa, escapando-me das mãos. Sei, porém, que sabes (tão bem) que no meu coração não habitam relógios. Podes voltar ao meu regaço que eu prometo que o tempo para de novo e que não digo a ninguém que te balanço como em criança, neste amor sustado e eterno.

 

Vanessa Brandão

 

Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 07:30  Comentar

Luanda | Angola

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Equipa

> Alexandra Vaz

> Ana Martins

> Cidália Carvalho

> Ermelinda Macedo

> Fernando Couto

> Jorge Saraiva

> José Azevedo

> Leticia Silva

> Maria João Enes

> Rui Duarte

> Sandra Pinto

> Sara Almeida

> Sara Silva

> Sónia Abrantes

> Teresa Teixeira

Abril 2017
D
S
T
Q
Q
S
S

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
13
15

16
18
20
22

23
25
27
29

30


Arquivo
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
O tempo, a arbitrariedade da vida e as fragilidade...
Obrigado SAPO.AO!!
E claro que é no "Cenas na net" mas este na homepa...
Torna-se 'repetitivo', mas no bom sentido que faze...
Presenças
Outras ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: