8.6.16

Hand-GerdAltmann.jpg

Foto: Hand – Gerd Altmann

 

Sempre teve a convicção que dar era uma forma matreira para receber o que desejava. Cresceu rodeado de atenção, carinhos e mimos que o foram ensinando a receber, a receber, a receber. Por vezes, esse círculo ampliava-se para além dos pais, avós, tios e primos. Sentia que os pais deviam ser muito importantes, ele próprio foi acreditando que também o era. Tal era a reverência com que todos o abordavam, lhe ofereciam carícias, sorrisos, prendas, muitas prendas, prendas e mais prendas. E ia aceitando com naturalidade. Nada tinha que fazer, parece que todos adivinhavam os seus desejos, mesmo sem ele perceber que os tinha. Raramente o incitavam: “- Então, o que se diz?” E ele lá respondia com um sorriso, disfarçando-se tímido e assustado (tinha descoberto que incrementava o receber). Às vezes, quando sentia que poderia mais ganhar, lá lhe saía um esganiçado obrigado.

Tornou-se um adulto sedutor, um astuto manipulador, distribuindo singelas dádivas, matreiramente estratégicas para conseguir os seus fins. Vivia as relações posicionando-se sempre no seu lugar de recetor, conduzindo astuciosamente os outros aos seus papéis de dador. Nas relações amorosas, atuava ardilosamente, reservando ao seu par o privilégio de o amar. E ele deixava-se ser amado.

Inesperadamente, a sua vida perfeita foi brutalmente abalroada pela doce e assertiva Flor. Esta forte mulher que se respeitava e do mesmo modo respeitava os outros, trouxe-lhe dolorosos e apaixonantes desafios. Foram longos meses de aprendizagens com genuíno amor, banhadas a mel e a fel, num vaivém sinuoso de fluxos entre dar e receber.

 

Tayhta Visinho

 

Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 09:30  Comentar

Luanda | Angola

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Equipa

Alexandra Vaz

Ana Martins

Cidália Carvalho

Ermelinda Macedo

Fernando Couto

Jorge Saraiva

José Azevedo

Leticia Silva

Rui Duarte

Sandra Pinto

Sandra Sousa

Sara Almeida

Sara Silva

Sónia Abrantes

Tayhta Visinho

Teresa Teixeira

Junho 2016
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12
14
16
18

19
21
23
24
25

26
28
30


Arquivo
2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
O tempo, a arbitrariedade da vida e as fragilidade...
Obrigado SAPO.AO!!
E claro que é no "Cenas na net" mas este na homepa...
Torna-se 'repetitivo', mas no bom sentido que faze...
Presenças
Outras ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: