De Alexandra Vaz a 28 de Janeiro de 2010 às 23:05
Ana,

poucas palavras que dizem tudo...

De Ana Gomes a 27 de Janeiro de 2010 às 21:59
Para ultrapassar um "drama" precisamos, primeiro que tudo, de sair dele... "Mais vale ser de um lar desfeito do que viver num lar desfeito". A frase não é minha mas subscrevo-a na totalidade.

De Cidália a 26 de Janeiro de 2010 às 22:39
Joel,

Ser filho de pais separados não é um drama, mas em momentos criticos pode vir ao de cima o estigma. È preciso ser "bem formado/a" para não se cair na vulgaridade de se tecerem considerações ao comportamento das crianças sem atender à situação dos pais.
Mas tendemos a melhorar, acredito nisso

De Cidália a 26 de Janeiro de 2010 às 22:32
..."Penso que o que uma criança precisa acima de tudo, é de amor, e esse pode ser dado pelos pais, independentemente do facto de estarem juntos ou não."

Manuela,
Completamente de acordo contigo. Penso que todos concordam com isto, o problema é que quando há problemas entre um casal, facilmente se esquecem e os filhos passam, muitas vezes, a ser instrumentalizados por cada um dos pais.
Jogam os filhos e com os filhos e estes, atentos, depressa sabem tirar proveito deste joguete. Mas faça-se justiça, há famílias que, separadas conseguem um bom entendimento.

De Joel a 26 de Janeiro de 2010 às 20:13
Eis um dos maiores pomos de discória (e de concórdia) entre casais. Os filhos, a sua criação e educação, as expectativas que neles são colocadas, a visão de pai e mãe nem sempre coincidem. Não havendo concessões aqui ou ali está traçado o caminho do divórcio. Não me parece um drama ser-se filho de pais separados. Não será certamente a situação ideal mas, em muitos casos, será certamente a melhor.

De manuela sousa santos a 26 de Janeiro de 2010 às 15:13
Cidália, gostei bastante do texto porque aborda vários sentimentos. Muito actual o tema da Família .
O amor incondicional por um filho. A alegria do seu nascimento. No meu ponto de vista a maior alegria que temos na vida.
Em contraste , os pontos baixos – tentativa de manter um casamento, apesar de…
Mas, infelizmente, um filho não é hoje em dia um argumento suficiente para duas pessoas se manterem juntas.
Penso que o que uma criança precisa acima de tudo, é de amor, e esse pode ser dado pelos pais, independentemente do facto de estarem juntos ou não. Tudo é preferível a um mau ambiente onde não exista paz, factor de extrema importância para um crescimento saudável.
Bem ajam os casais que têm muitos filhos (bem precisamos de uma renovação na população) e que conseguem ultrapassar todas as adversidades da vida.