26.8.15

ManOnTheRiver-PeterGriffin.jpg

Foto: Man On The River – Peter Griffin

 

A vidinha vai correndo, as coisas vão acontecendo, lá vamos dando umas braçadas ou, simplesmente, vamos vogando mais ou menos ao sabor da corrente, tanto quanto possível longe das margens, onde há sempre mais redemoinhos, perturbações, para que a rapidez, ou a fluidez, e a facilidade no percurso sejam maiores, imperem, haja o menor número de obstáculos possível.

No entanto nem tudo está sob controlo e muitas vezes somos apanhados pelo imprevisto, na curva, ou por aquilo que tentamos evitar há que tempos e que acabou por deixar de ser possível.

Estamos perante um redemoinho e, queiramos ou não, é a hora, temos que abrandar, parar, dar uma volta sobre nós próprios. É agora e é inadiável... vamos ter que meter a mão na consciência. O debate connosco próprios urge e, interiormente, com mais ou menos profundidade, vamos pôr-nos em causa. Estamos a fazer o que devemos, como e quando devemos? Claro que não estamos sós, claro que sofremos e beneficiamos da influência daquilo que está à nossa volta, é impossível esbracejar constantemente contra a corrente; mas é claro, também, e isso vem à tona a qualquer momento, que não podemos empurrar tudo para a responsabilidade da corrente, das circunstâncias. Não posso empurrar, esconder, a minha individualidade para o imponderável.

Quanto mais frequentemente metermos a mão na consciência e agirmos em consequência, mais leves poderemos tornar-nos, sentir, e aquilo que poderia aparentar ser demasiado pesado, mais difícil de fazer, acaba por facilitar que permaneçamos à tona, mão no leme, e que façamos o nosso caminho, livre, entre as margens.

 

Jorge Saraiva

 

Link deste ArtigoPor Mil Razões..., às 08:00  Comentar

Luanda | Angola

Pesquisar
 
Destaque

 

Porque às vezes é bom falar.

Equipa

> Alexandra Vaz

> Cidália Carvalho

> Ermelinda Macedo

> Fernando Couto

> Helena Rosa

> Inês Ramos

> Jorge Saraiva

> José Azevedo

> Maria João Enes

> Marisa Fernandes

> Rui Duarte

> Sara Silva

> Sónia Abrantes

> Teresa Teixeira

Agosto 2015
D
S
T
Q
Q
S
S

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
13
15

16
18
20
22

23
25
27
29

30


Arquivo
2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


Comentários recentes
O tempo, a arbitrariedade da vida e as fragilidade...
Obrigado SAPO.AO!!
E claro que é no "Cenas na net" mas este na homepa...
Torna-se 'repetitivo', mas no bom sentido que faze...
Presenças
Ligações
Música

Dizer que sim à vida - Carlos do Carmo:

 

Dizer que sim à vida - Luanda Cozetti: